segunda-feira, 30 de julho de 2012

A importância da ergonomia no trabalho

As L.E.R. (Lesão por Esforço Repetitivo)/Dort (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho) apresentam crescimento exponencial no Brasil. As posturas inadequadas, que advêm principalmente de um posto de trabalho mal dimensionado, e os movimentos repetitivos são alguns dos fatores que mais contribuem para o aparecimento dessas doenças.

Neste âmbito, a prevenção continua sendo a melhor solução para evitar problemas aos empregados e, consequentemente, aos empregadores. A engenharia tem prestado grande contribuição na elaboração de projetos que contemplem as prescrições da ergonomia como, por exemplo, o mobiliário, que deve primar não só pelo conforto, mas também observar os alcances visuais e dos membros.

O controle administrativo também é uma forma de reduzir a exposição do trabalhador à condição antiergonômica, mediante rodízio dos trabalhadores, alternância de postura ou redução da jornada laboral. Confira algumas formas de prevenção:

- Realizar pequenas pausas rápidas em qualquer atividade que se exerça repetitividade excessiva ou postura inadequada por tempo prolongado. Intervalos breves e frequentes são mais eficazes para a recuperação do que um período de descanso igual, tomado de uma só vez. Durante essas pausas, é adequado fazer alguns alongamentos para as áreas do corpo que estiverem executando a tarefa;

- Cuidar para sempre permanecer com uma boa postura, incluindo a adequação do posto de trabalho, de acordo com as características físicas dos indivíduos e a atividade realizada;

- Não aplicar força nem pressão exageradas, repetitivas ou frequentes durante a atividade.

E veja os benefícios gerados com a ergonomia no trabalho:

- Redução de acidentes e doenças ocupacionais;

- Aumento da eficiência do trabalhador;

- Melhoria da qualidade técnica dos trabalhadores;

- Aumento do moral e satisfação dos trabalhadores;

- Aumento da produtividade das áreas;

- Melhoria na qualidade dos produtos;

- Redução do absenteísmo;

- Diminuição do custo de produção;

- Redução do desperdício;

- Prevenção de danos na produção;

- Prevenção de avarias em máquinas e equipamentos.

A boa notícia é que, segundo a medicina, essas doenças são curáveis, principalmente nos primeiros estágios. Por isso, a prevenção e o diagnóstico precoce são essenciais, tanto para proteger o trabalhador como para evitar passivos em segurança e saúde no trabalho nas empresas.

Antonio Carlos Vendrame

Engenheiro de segurança do trabalho e diretor da Vendrame Consultores Associados (www.vendrame.com.br).
Fonte: Monitor Digital

Nenhum comentário: