Loading...

sexta-feira, 5 de março de 2010

O que fazer em caso de acidente.

Médicos explicam forma correta de agir. Socorro deve ser prestado por alguém que consiga se manter sob controle.

Ver alguém sofrer um acidente é terrível. Mas como nem sempre se pode evitar, é bom saber o que fazer para afastar consequências mais graves. Segundo especalistas, atitudes simples, como colocar água corrente na mão ou no braço queimados, podem ajudar o paciente antes mesmo de ele chegar ao hospital.
Ainda no caso das queimaduras, não se deve colocar café, manteiga ou outras substâncias, mas sim resfriar a área afetada com água, sem esfregar, por até 10 minutos, cobrir com um pano e ir para o hospital.
“Geralmente, o parente próximo fica tão nervoso que o vizinho ou um tio mais distante é quem age. E é mportante que essa pessoa tenha conhecimentos mínimos”, diz o microcirurgião João Recalde Rocha.
Chefe do Centro de Reimplantes do Hospital Adão Pereira Nunes, João conta que atende pessoas que perdem parte dos dedos em portas, janelas e até nos ganchos que seguram a rede das traves de futebol. “Muitos acham que devem colocar a parte amputada direto no gelo. O correto é colocar num saco plástico fechado e, este, num isopor ou outro recipiente com gelo e água. Colocar direto no gelo lesiona os vasos e dificulta o reimplante”.
Em casos de amputações maiores, o médico diz que o ideal é que o membro seja colocado numa toalha e levado à unidade mais próxima, que fará o acondicionamento. “É importante que, no caso de dedo amputado, por exemplo, se levante a mão para diminuir o sangramento. Fazer um curativo com gaze também ajuda”.
Se objetos como facas, vergalhões e espetos perfurarem o corpo, não devem ser retirados. Somente médicos podem fazê-lo. “Já atendi uma menina que caiu em cima de um vergalhão e só sobreviveu porque o pai a levou ao hospital com o objeto. Se tivesse tentado tirar em casa, ela morreria porque a artéria sangraria muito”, diz a chefe da Pediatria do Azevedo Lima, Leonardo Passos.
Pessoas que perdem dentes em acidentes devem mantê-los na saliva, dentro da boca, ou colocá-los no soro até chegar no dentista, em no máximo seis horas. “Não segure o dente na raiz nem o lave”, alerta a dentista Domênica Leite.

PREVENIR É SEMPRE MELHOR DO QUE REMEDIAR
Todo cuidado com criança é pouco. Algumas medidas simples, no entanto, reduzem bastante o risco de acidentes em casa. Como O DIA mostrou em 20 de dezembro, a cozinha é um dos lugares mais perigosos. Saiba o que fazer em cada cômodo.
ÁREA DE SERVIÇO
Não coloque produtos de limpeza em embalagens coloridas ou de refrigerantes porque há risco de a criança se confundir e beber. Guarde material de limpeza em armários altos e fechados.
SALA E QUARTO
Fios elétricos desencapados devem ser cobertos. Deve-se evitar ainda que fios, como os de telefone, cruzem o caminho. Use plugues de plástico e tomadas com tampa para impedir choques, como na casa de Arthur, 2 anos. Evite passadeiras e brinquedos espalhados, que facilitam quedas. Nunca deixe objetos pequenos, pontiagudos (agulhas, alfinetes ou palitos) na cama ou perto da criança. Atenção às janelas e varandas, que devem ter grades de proteção. Travas de portas protegem os dedos dos pequenos.
COZINHA
Coloque os cabos das panelas para dentro do fogão e dê preferência às bocas traseiras. Toalhas não devem ficar penduradas na mesa porque há risco de a criança puxar e ser atingida por pratos, facas e copos. Atenção ao forno: pode causar queimaduras em crianças mesmo depois de desligado. Mães não devem cozinhar ou fazer café com a criança no colo devido ao risco de queimaduras.
BANHEIRO
Remédios e perfumes devem ser guardados em locais altos e com tranca. O vaso sanitário deve ficar sempre com a tampa fechada para evitar afogamento de crianças pequenas.
ESCADAS
É importante ficar atento a escadas porque muitas vezes a altura do degrau é obstáculo. O ideal é que fiquem isoladas com portinholas que impedem a passagem das crianças.
LAJES
Brincar em laje é um perigo e deve ser evitado. Crianças e adolescentes se distraem e correm sério risco de queda, que pode causar graves lesões.
Fonte: O Dia On-line

Nenhum comentário: