terça-feira, 24 de maio de 2011

Após vazamento de cloro em AL, tubulação rompe e fere cinco.

O rompimento de uma tubulação, durante a madrugada do dia 23 de maio, deixou cinco trabalhadores feridos na Unidade de Cloro Soda da Braskem, em Alagoas, informou a empresa. Dois dias antes, na tarde do dia 21, um vazamento de cloro gasoso intoxicou ao menos cem pessoas, no bairro Pontal da Barra, em Maceió.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a nuvem do produto químico passou por cima da favela "Sururu de Capote", o que deixou algumas pessoas com olhos e gargantas irritados.

"No sábado, 129 pessoas deram entrada no hospital com sintomas como tosse, cansaço, falta de ar e mal-estar. Dessas, 29 ficaram hospitalizadas para receber medicamentos, mas 28 foram liberadas até o início da manhã deste domingo", disse ao G1 a administradora de plantão do Hospital Geral do Estado (HGE), Betânia Cotrim. A criança que permanecia no hospital estava em observação por apresentar problemas respiratórios. Ela foi liberada e passa bem, segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

Em nota distribuída nesta segunda, a empresa informou que, às 3h50, ocorreu um rompimento de uma tubulação na unidade, quando a produção estava paralisada e era feita preparação para inspeção preventiva no sistema de produção, que se encontrava inativo. Não houve novo vazamento de cloro. Cinco montadores de andaime de uma empresa especializada prestadora de serviços que estavam próximos ao local foram atingidos, informou a Braskem.

"Houve a imediata intervenção da equipe de pronto atendimento da Unidade de Cloro Soda e os envolvidos, após receberem os primeiros socorros, foram removidos para o HGE. Um deles já foi liberado e os outros quatro continuam sob atendimento médico", informou a empresa esta manhã.

A Braskem e a Mills, empresa de onde são os funcionários feridos, informaram que estão prestando toda a assistência necessária às famílias e realizando acompanhamento para garantir os devidos cuidados médicos aos trabalhadores. A Braskem informou ainda que a unidade está paralisada e não há riscos para a população.

De acordo com o Instituto de Meio Ambiente de Alagoas (IMA), houve histeria de parte dos moradores da região no final de semana, que ficaram assustados com o vazamento do produto químico. As pessoas com sinais de intoxicação foram levadas ao HGE.

De acordo com os bombeiros, o vazamento foi controlado pela brigada da empresa. A corporação negou que tivesse ocorrido explosão. O IMA está fazendo um levantamento na região para saber se houve comprometimento ambiental na área atingida. As causas do incidente ainda estão sendo investigadas.
Fonte: G1

Nenhum comentário: