sexta-feira, 6 de maio de 2011

Nossas empresas precisam aprender a aprender

Escrito por: Ivan Postigo
O processo de gestão de uma empresa demanda pesquisa sobre inovações, entendimento das relações interpessoais e muita reflexão sobre os acontecimentos no mundo globalizado.

A internet veio para nos facilitar a vida, agilizando o acesso às inovações, mas também para nos abarrotar com informações, e gerar, como diz Richard Farson em seu livro, um Paradoxo do Absurdo.

A velocidade com que a evolução tecnológica muda ambientes e comportamentos tem feito com que empresas no mundo todo se questione quanto as seus métodos de gestão e formas de avaliação de resultados. Nunca se discutiu tanto a questão ambiental e social como neste momento.

Para vender no mundo globalizado já não basta ter qualidade é preciso observar os impactos na natureza, o envolvimento com a comunidade e a interação social da empresa.

As fontes de abastecimento de matérias-primas passaram a ser também uma responsabilidade dos fabricantes de produtos acabados e revendedores, os quais devem observar possíveis condutas inaceitáveis com os padrões globais atuais.

Isso muda a forma de fabricação, venda, distribuição, avaliação dos custos, medição dos resultados, avaliação da produtividade, lucratividade e a rentabilização do capital.

Empresas que só atendem mercados locais podem se sentir imunes a essas questões, contudo não estão, uma vez que competem diretamente com empresas exportadoras e estrangeiras, que observam estas práticas e também abastecem o mercado interno.

O mundo dos negócios, face às aberturas comerciais no mundo todo, não discute mais apenas a lucratividade, mas a rentabilização e segurança do capital.

As respostas precisam ser rápidas, por isso consultoria é um dos segmentos de serviços que mais têm crescido no mundo.

As mudanças frequentes na economia, a evolução tecnológica, a velocidade das mudanças empregadas pela globalização, a necessidade de melhoria do conhecimento, e, principalmente, a “necessidade de criar o futuro” são as principais razões de existência das consultorias.

As empresas necessitam além da busca de novos conhecimentos e de inovações, consolidar suas vantagens competitivas e questionar suas realidades visando uma melhoria continua e sustentada.

A moderna administração considera que o conhecimento é mais importante do que a experiência para que uma pessoa possa otimizar seus resultados.

A luta pelo futuro começa não como uma batalha pela participação de mercado, mas como uma batalha pela liderança intelectual.

Senso de oportunidade, agressividade, vitalidade, combatividade comercial, comprometimento, qualificação das pessoas, flexibilidade para atacar oportunidades são fatores que podem ser despertados e aprimorados com auxilio de profissionais experientes da área de consultoria.

As empresas do futuro sempre foram aquelas capazes de perceber, idealizar, estruturar e operacionalizar situações novas. A obsolescência do pensamento e das formas de gestão têm destruído mais empresas do que a falta de recursos.Essa é uma das principais razoes para não encontrarmos tantas empresas centenárias.

A necessidade de questionamentos progressivos entre clientes e fornecedores, visando um processo de melhoria contínua, tem elevado substancialmente a procura de consultorias especialistas pelas empresas no mundo todo.

Não basta apenas questionarmos e debatermos a qualidade do ensino nas nossas escolas, para sermos efetivamente competitivos, nossas empresas terão que aprender a aprender, cada vez mais.
Fonte: O Gerente

Nenhum comentário: