quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Incêndios - 90% do comércio de Campo Grande funcionam sem certificado de segurança.

As últimas semanas do ano de 2010 foram marcadas por ocorrências envolvendo fogo em residências ou estabelecimentos comerciais de Mato Grosso do Sul. Só em dezembro aproximadamente dez propriedades, entre residências e comércio, ficaram parcialmente ou totalmente destruídas pelas chamas. Caso mais recente foi um supermercado em Sidrolândia, que chegou a perder parte do teto.

O Departamento de Fiscalização do Corpo de Bombeiros revela uma estimativa alarmante para a população campo-grandense: aproximadamente 90% dos estabelecimentos comerciais da cidade funcionam sem o certificado de segurança da entidade.

O documento, emitido pelos Bombeiros, fiscaliza a segurança oferecida pelas empresas para a população.

Segundo o departamento as maiores falhas são a ausência de saídas e iluminação de emergência, extintores com estado de funcionamento precário, e instalações elétricas também precárias.

O certificado do Bombeiros garante que as chances de acidente diminuam, preservando a integridade física da população.

Despreocupação

Em alguns estabelecimentos visitados pela reportagem na Avenida José Nogueira Vieira, região do bairro Tiradentes em Campo Grande, foi verificado que a ausência do documento é comum. Em nenhum dos locais visitados, uma conveniência, um cyber e uma mercearia, havia certificação de segurança dos bombeiros.

Perguntados os responsáveis pelos estabelecimentos foram quase unânimes, afirmando que o perigo é baixo, por não trabalharem com produtos perigosos.

“Aqui é tranquilo, vendo as coisas pela janela, não trabalho com fogão nem nada desse tipo, não vejo necessidade de pagar esse certificado”, defende-se o dono da conveniência.

Já na mercearia visitada o dono também não mostra preocupação, mesmo o estabelecimento tendo vários equipamentos, comorefrigeradores, e fios a mostra próximo ao teto. "Trabalho aqui há mais de oito anos, nunca tive um problema e acredito que não vou ter não", afirmou o responsável.

Perigo

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros as instalações elétricas são os principais problemas nos estabelecimentos. Com o sistema em estado precário, as chances de acidentes aumentam drasticamente, principalmente as possibilidades do início de incêndios.

E sem saída e iluminação de emergência a população pode acabar sendo atingida caso haja algum acidente dentro de uma empresa.

Preparo

Algumas lojas acabam até trabalhando dentro da regularidade apresentando o certificado de vistoria do Corpo de Bombeiros e instalando extintores. O problema, pontua o técnico de segurança do trabalho da empresa Altitude, Anísio Gama, é que os patrões e gerentes acabam não oferecendo cursos para os funcionários para que eles saibam agir em caso de necessidade. A maioria acaba acreditando ser um gasto desnecessário, mas a economia pode acarretar em custos.

"Sei de caso em que aconteceu um princípio de incêndio no disjuntor de uma loja e nenhum funcionário lembrou de utilizar o extintor. Em outro caso, ninguém sabia acionar o equipamento e o prejuízo poderia ter sido menor", relata.

Como tirar a documentação

Quem tem qualquer tipo de empresa e deseja contar com o certificado do Corpo de Bombeiros deve procurar a entidade. Os Bombeiros irão entregar a lista de requisitos para cumprir as normas de segurança.

Depois de realizar as melhorias, o proprietário deve marcar uma fiscalização. Se tudo estiver correto, será emitido o certificado.

Os requisitos mínimos de segurança variam conforme o tamanho da empresa, capacidade de pessoas e serviço prestado.

O custo cobrado pelo Corpo de Bombeiros pela fiscalização, não contando os gastos com melhorias (por conta do proprietário), variam entre R$ 59,84 e R$ 792,88.
Fonte: MidiaMax

Nenhum comentário: