Loading...

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Sindrome do Edifício Doente

A organização mundial de saúde (OMS) criou a expressão "Síndrome do Edifício Doente"; em 1983 para definir os prédios comerciais envidraçados, com ambientes controlados artificialmente e acarpetados e pouca manutenção. Por causa do acúmulo de umidade e poeira, o volume de micróbios nocivos à saúde é dez mil vezes maior do que a céu aberto.
A OMS calcula que um quarto dos edifícios nas metrópoles de todo o mundo tem péssima qualidade do ar. O mal atinge escritórios, hospitais, casas de espetáculos, hotéis e shopping centers.
As doenças mais comuns atacam o aparelho respiratório e a pele. Elas são alergias provocadas por fungos, ácaros e bactérias.
Nos locais públicos e de trabalho o problema é ainda maior, pois há uma grande concentração de pessoas ao mesmo tempo e no mesmo local.
O primeiro caso registrado de edifício doente ocorreu em 1976, no Hotel Sairmont, na Filadélfia, Estados Unidos. Um grupo de 221 hóspedes adoeceram. Todos com os mesmos sintomas: tosse seca, febre, falta de ar, dor no corpo e cansaço. O Centro de Controle de Doenças de Atlanta (CDC) constatou que não se tratava apenas de uma forte gripe, mas uma pneumonia atípica. A evolução era mais demorada do que um simples resfriado, podendo se prolongar por mais de uma semana. Após a autópsia de 34 mortos por pneumonia, os médicos encontraram a bactéria até então desconhecia nos pulmões dos mortos. Ela foi batizada de Legionella Pneumophila porque os hóspedes eram legionários idosos reunidos no hotel para um congresso.
Edifícios doentes podem provacar nas pessoas os seguintes sintomas:
Irritação nos olhos, nariz e garganta,
Sensação de mucosas ou pele ressecadas,
Vermelhidão congestiva da pele,
Fadiga mental,
Dores de Cabeça,
Tosse e rouquidão freqüentes,
Respiração ruidosa do tipo asmática,
Coceira na garganta ou pelo corpo,
Nervosismo,
Náusea,
Tontura.
Dicas para prevenção destes problemas:
Limpar bandejas e serpentinas do ar condicionado a cada 15 dias;
Limpar filtros do ar condicionado a cada 15 dias;
Abrir portas e janelas sempre que o ar condicionado estiver desligado;
Fazer a limpeza da tubulação do ar condicinado periodicamente;
Não fumar em ambiente fechado;
Não acumular plantas e papéis velhos na sala;
Não aplicar germicidas tóxicos nos filtros do ar condicionado;
Ambientes com tapetes, carpetes e cortinas não combinam com ar condicionado.

Um comentário:

Vinícius disse...

Ótimo artigo! Além de explicar sobre a síndrome, as exemplificações foram ótima; destaque para o comentário sobre o primeiro caso registrado da Síndrome.
Parabéns ao autor!